Recomendação do Recanto




"Não subestime o desprezo absoluto das pessoas. Tornar-se um pária não é fácil. As pessoas acreditam que o diabo é Satan. Ignoram que o mundo é muito mais antigo que o cristianismo. Tudo para essas pessoas ignorantes é coisa do “diabo”. E julgam, recriminam e segregam. Ainda que isso seja um pecado diante de Deus. Porém, estranhamente é exatamente esse comportamento hipócrita e preconceituoso que a Igreja incentiva. É tudo tão absurdo. E afinal o que são os pecados? É uma maneira de controle do ser humano, de condená-lo, de inserir culpa pelos seus desejos naturais, de submetê-lo, de castrar seus pensamentos. É tudo tão ridículo."

Entre em contato!



Dúvidas? Opiniões? Ofensas pessoais? Gostaria de trabalhar conosco ou colaborar com suas produções?

Entre em contato!

recanto_do_opositor@hotmail.com

Firefox



Firefox

Satan usa Firefox. Todo o Inferno usa Firefox. Aceite-o como seu único navegador.

Satanismo, ateus, cientificismo...

Escrito por Recanto do Opositor

Desde já eu deixo claro para os leitores que sei muito bem que este blog é sobre Satanismo, e assim como não gosto de ficar falando sobre cristianismo, por ser algo que foge do tema, o mesmo ocorre com o ateísmo. Entretanto, tamanho é seu crescimento constante, que podemos tomar alguns de seus pontos e fazer comparações com o Satanismo, o que nos ajuda a reconhecer o que nós temos que ele não tem, e vice versa. Isto é um simples pensamento no sentido de relacionar nossas idéias com outras; creio que não temos a perder com isso.

O que me motiva a escrever sobre o tema por agora, tem por contexto uma entrevista que estou dando na comunidade Orkutiana "Eu amo e acredito em Deus". Pelo nome já imaginei muita coisa, mas nunca pensaria que lá encontraria ateus tão fervorosos. Ou melhor, ao menos um, quer dizer, uma, em particular. Mas também não importa quem seja, não faz qualquer diferença a pessoa, mas sim o discurso ateísta cientificista que ela trazia, e que de certa forma se assemelha a muitos que já pude observar.

O resumo da ópera é mais ou menos o seguinte... Em certa altura do tópico eu já havia me referido por diversas vezes à natureza humana descrita pelo Satanismo. Quem conhece Satanismo sabe do que se trata, e para quem não conhece, em resumo, consideramos o humano como alguém que busca prazer em sua vida, que encontra-se sempre na posição central de toda a sua existência, que é capaz de abrigar em si tanto sentimentos "ruins" como "bons", amor e ódio, etc., enfim, reconhecemos o humano como um ser humano, não como uma criação divina corrompido pelo pecado. Não querendo me debruçar sobre o que detalhadamente constituiria esta natureza, o que se pode dizer é que o Satanismo enumera sim, determinadas características que acreditamos pertencer a todos os seres humanos.

O que ocorreu de interessante foi que, passou a ser questionado, por conta desta ateísta, qual seria a "comprovação empírica" para tais definições. Qual seria a base científica para poder ser determinista ao ponto de pontuar linhas gerais a todos, constituindo assim a tal "natureza humana". O que é importante frisar aqui é o fato de a tal comprovação empírica ser a condição sine qua non para que nossa interpretação do ser humano tivesse alguma validade, e assim não sendo, ser limitada a uma "fé cega". Ateus adoram estas duas palavrinhas...

A primeira crítica que tenho para fazer, diz respeito ao próprio ateísmo em si. Ou melhor, aos ateus. Criou-se a dicotomia ciência x fé que é tão pequena quanto bem x mal, bonito x feio, e todas as outras separações simplistas que o ser humano fez ao longo de sua existência na tentativa de organizar uma realidade imprevisível, caótica, complexa. Para grande parte dos discursos ateístas, ou a ciência filtra uma determinada idéia, ou estaremos a tratar de fé cega. Isto num primeiro momento pode não apresentar grandes problemas e talvez o leitor nem mesma compreenda o motivo de comentar sobre tal ponto, com certeza por já estar acostumado com a enxurrada de discursos do tipo "verdades científicas dos ateus versus invenções de fé do cristianismo e cia.".

O que ocorre é que quando estamos a falar do ser humano, de seu pensamento, de sua consciência de infinitas possibilidades, enfim, do ser enquanto sempre sendo algo novo, único, incalculável, imprevisível, encontra-se então a base segura da ciência numa condição de não conseguir dar conta de calcular tudo e todos. Muito pelo contrário. Uma vastíssima gama de autores ao longo de toda a nossa história trataram de descrever e refletir sobre o comportamento e as nossas ações sem que nem sonhassem os homens com Descartes, racionalismo, método científico e coisas do gênero. Seria isto então um filtro para poder qualificar todo este pensamento que outrora foi desenvolvido? De forma alguma. "Cientifizar" o humano é fazer dele uma máquina. Ou então limitar-se a coisas, formas, reações, constituintes. Particularmente, prefiro dedicar-me a idéias, noções, ideologias, significados.

Reparem que eu de forma alguma estou indo contra a ciência e seus progressos, de forma alguma. Devo dizer também que não saberia dizer se uma humanidade "tecnologizada" seria melhor ou pior que uma em estado "primitivo". Este é o tipo de julgamento que não deve ser feito, visto que é impossível termos vivido em dois momentos tão distintos do tempo e termos consciência e memória de tudo a ponto de fazer uma comparação justa. De qualquer forma, não sou daqueles anti-globalização, anti-tecnologia, nem nada do tipo. Mas o que não se pode negar é que tantas descobertas, tantas invenções acabaram por acarretar diversos problemas. A lista é extensa, mas não vou ir muito fundo...

O que ocorre é que o racionalismo exacerbado nos fez esquecer de pensar com as capacidades de nossa mente para pensar a partir de uma lógica, de binarismos, de cálculos e fórmulas, quando, como já disse, a realidade não é apenas física, química e matemática. A realidade é o ser, é o humano interagindo e modificando sua realidade com seus devaneios, sua fantasia, seus sonhos. Esquecemos-nos disto para vivermos em um mundo mecânico, sintético, pseudo-determinado, pseudo-compreendido.

Mas e o Satanismo, onde entra nisto tudo?

Com a valorização do humano e com a elevação do indivíduo não poderíamos tornarmos-nos mais uma máquina. Nossas capacidades tendem ao infinito, e cada um é simplesmente único. Não traçamos fórmulas ou regras, nem muito menos analisamos o mundo através de qualquer método científico. Ora, estamos falando de religião!

E como forma de pensamento que se propõe a analisar o mundo ao nosso redor estando nós nele inserido, constitui-se o Satanismo a partir de uma interpretação própria com relação a tal. Partindo de conceitos filosóficos, dentre outros encontrados nas mais diversas categorias de literatura, formam-se então as idéias que definirão o ser humano assim como são propostos outras que dizem respeito à sua interação com seus próximos e com o mundo. E toda esta interpretação não surge do nada. É um trabalho de reflexão no qual cantam poetas, escrevem autores, enfim, falam pessoas. Não se trata de observação empírica racional, trata-se de idéias, comportamento, mente humana. Tratam-se dos mais diversos autores, das mais diversas visões enfim, tudo reunido para que no final tenhamos uma pequena organização à qual damos o nome Satanismo. E reduzir tal a "fé cega", ou quaisquer outros adjetivos similares, é um grande equívoco. É considerar que todo e qualquer sistema de idéias acerca de algo deve possuir um viés rigorosamente científico! E isto é das maiores bitolações!

Tudo o que é dito na tentativa de descrever a natureza humana em momento algum configura-se como uma espécie de determinismo no sentido de postular qualquer conjunto de verdades incontestáveis obtidas através de experimentos científicos! Não almeja o Satanismo em nenhuma de suas instâncias atestar como fato indiscutível perante o mundo qualquer um de seus conceitos acerca de X ou Y.

Mais uma vez vale comentar o que é nossa religião. É escolha individual, é opção, é aceitação de bom grado, é concordância, é seleção. Não queremos vender nossas verdades, não queremos que você seja nosso colega de missa, não queremos que você seja nosso irmão, e não fazemos a menor questão de que qualquer um levante nossa bandeira e a exponha para o mundo. Não temos uma comunidade científica para a qual devemos provar nossos conceitos e idéias. O Satanismo prova-se como válido ou não para cada um que se proponha a experimentá-lo, e nada além disto.

Nós não queremos mudar o mundo com nossas descobertas, nem faremos de um cientificismo bitolado uma salvaguarda para nossas crenças, dogmas e valores. Não queremos converter todos a qualquer custo, muito menos perdemos nosso tempo questionando se a Bíblia estava errada ou apresenta alguma "incoerência científica". Mantemos sim espírito cético, talvez até mais do que se pense, mas também não precisamos elevar a ciência à condição de tríplice oni- (presença, ciência...) que outrora fora do barbudo lá do céu. Estaríamos apenas modificando os personagens, a história continua a mesma.

Reconheço de bom grado que não há fórmulas para um bom poema, que não se prevê as notas de uma boa música, que não se calculam sentimentos, nem se mede a consciência. Nada disto não poderá nunca a ciência fazer. E é por isso que sou orgulhosamente humano. Um animal que pensa, e não um simples animal racional.

6 Comments

  • gravatar
    Comment by Tadeo

    Só tem uma coisa que eu odeio mais que evangélicos xiitas.
    Ateus xiitas.

    Espero que queimem no inferno essas pessoinhas

  • gravatar
    Comment by C. H. Oliver

    Eu prefiro ateus xiitas. Eles pelo menos não tentam tirar satã do seu corpo ou têm uma multidão pronta pra te linchar a seu lado.

  • gravatar
    Comment by Vítor V.

    Ateus xiitas são o novo inimigo. Superar o cristianismo é algo que já foi realizado a muito tempo. Deixar de acreditar no barbudo e criticar quem o faz é fácil. A fé cristã é perigosa, é fechada em si mesmo, é problemática, mas acho que a bitolação atísta cientificista é pior ainda...

  • gravatar
    Comment by Anônimo

    O problema está em pegar um apenas e generalizar todos...

  • gravatar
    Comment by New Blog

    Na verdade, eu acho que satanismo nao tem nada a ver com Ateísmo(se eu entendi bem a analogia). O que ocorre é que Ateus são racionais , sendo racionais acreditar em Deus ou Acreditar em Demônios foge do contexto já que, tanto Deuses como Demônios são inventados por pessoas ignorantes.E, não há prova da existência de nenhum dos seres em questão.Sendo eu ateísta tenho certa digamos "curiosidade" por satanicos, já que estes são corajosos e heterodoxos.Apesar de fundamentos "Level 0,0".

  • gravatar
    Comment by Anônimo

    New Blog, então você não entendeu porra nenhuma do texto. E outra coisa, se quiser falar sobre Satanismo, conheça a fundo, antes de sair por aí dizendo que acreditamos em deuses, demônios e coisas desse gênero. Aqui mesmo, nesse blog, tem excelentes artigos sobre o assunto. É só procurar e ler.