Recomendação do Recanto




"Não subestime o desprezo absoluto das pessoas. Tornar-se um pária não é fácil. As pessoas acreditam que o diabo é Satan. Ignoram que o mundo é muito mais antigo que o cristianismo. Tudo para essas pessoas ignorantes é coisa do “diabo”. E julgam, recriminam e segregam. Ainda que isso seja um pecado diante de Deus. Porém, estranhamente é exatamente esse comportamento hipócrita e preconceituoso que a Igreja incentiva. É tudo tão absurdo. E afinal o que são os pecados? É uma maneira de controle do ser humano, de condená-lo, de inserir culpa pelos seus desejos naturais, de submetê-lo, de castrar seus pensamentos. É tudo tão ridículo."

Entre em contato!



Dúvidas? Opiniões? Ofensas pessoais? Gostaria de trabalhar conosco ou colaborar com suas produções?

Entre em contato!

recanto_do_opositor@hotmail.com

Firefox



Firefox

Satan usa Firefox. Todo o Inferno usa Firefox. Aceite-o como seu único navegador.

Palhaços

Escrito por Recanto do Opositor

Hoje lhes falo desta curiosa figura, que manifesta-se a um bom tempo em nossa história e que cuja análise um pouco mais aguçada nos revela que há muito mais deles por aí do que os circos de nosso país suporta.

Mas antes de tecer aqui as minhas críticas, e de, como um imbecil, falar de pessoas, cabe dedicar algumas palavras àqueles que colocam sapatos grandes, maquiam-se de forma excessiva e trazem alegria e riso a muitos: adultos, crianças, e até mesmo pacientes terminais...

O palhaço é uma figura única. É o personagem do riso. É um dos gritos de socorro que a arte dá quando se sente abafada por dor, tristeza, mágoa. O palhaço não é aquele que simplesmente se veste de forma ridícula, mas sim aquele que brilha, que chama a atenção, que acende para si uma luz única, incomparável, com suas cores fortes e seus acessórios singulares. Ele é aquele que tem por intuito fazer rir, fazer divertir, proclamar a alegria e a felicidade. O palhaço ao promover um sorriso, abre um para si, e mantém afastada qualquer aflição pessoal. Sem falar no caráter único da zombaria, do exagero, da crítica. Claro, esta última de forma mais encoberta, mas não ausente.

Mas é aquilo... Dizem as más línguas que a arte imita a vida, e a vida imita a arte... Ou algo do tipo...

Eu vejo pessoas fantasiadas. Elas se vestem de forma, no mínimo excêntrica, e figuram por entre pixels, bytes, e alguma unidade de tempo/espaço. São roupas chamativas, algumas coloridas, outras com muito preto, com muito branco... Eu vejo pessoas que ficam no centro do palco, fazendo suas palhaçadas. Eles riem de sua própria estupidez e quanto mais batem palma mais felizes ficam e mais comportamento ridículo temos. E mais e mais palmas... Eu vejo pessoas que promovem o riso, que são motivo de escárnio... E mais e mais palmas...

Mas estas pessoas contam piadas que não têm graça. Elas não promovem a alegria ou a satisfação, nada mais fazem senão nos fazer sentir asco, nojo, aversão, e até mesmo uma gota de egolatria, das mais vagabundas, por saber o quão acima estamos delas. Seus egos inflam como suas bexigas/balões/bolas de ar... São palhaços paralíticos para uma platéia de surdos-mudos, que não pára de ovacioná-los.

Eles estão na televisão, na internet, na esquina de sua casa, na sua roda de amigos. Quando vemos, logo reconhecemos um. E nada mais é senão uma questão de escolha. Ou você perde seu tempo vendo seus shows até ir no banheiro e vomitar, ou simplesmente os ignora. Talvez ainda que o faça eles ainda surjam, gritando, saltando, com a velha brincadeira da flor que esguicha água, ou ainda com aquela de jogar uma torta de religião oculta na cara das pessoas. Esta também é muito boa... Se assim acontecer, não se preocupe. Estes palhaços sempre existirão. Infelizmente. Cabe a nós evitarmos, ou ao menos tentar...

E para encerrar o post, mais uma vez a minha saudação àqueles que se dedicam a manter o sorrir em plena saúde, quando por muitas vezes, estes que o possuem não a tem em melhores condições, ao contrário destes imbecis dos quais falei anteriormente. E para estes digo-lhes: sorriam! Riam de si mesmo até se asfixiarem! Quem sabe alguém se lembre de suas piadas...

Não... Não se lembrarão... De nenhuma.

Dedicado aos palhaços e palhaços deste país.

3 Comments

  • gravatar
    Comment by Madame Morte

    Eu digo;"A vida limita a arte,a arte limita a vida."

    Um alô para todos os padres,pastores,pais de santo e afins mundo afora.

    Quanto aos verdadeiros palhaços,nobres tristes com seus rostos pintados,algo como congratulações por terem conseguido encontrar felicidade,mesmo que barata e muitas vezes chula.

    Pena a vida ter se tornado um palco sujo onde quem não usa mascara,pinta o rosto ou se enforca com gravatas.QUe continue o show,eu sorrio de volta.

  • gravatar
    Comment by Fabio Novaski

    Mais um belo post Vítor.

  • gravatar
    Comment by Rafael Peixoto

    Olá oi! Boa noite! O que seria da vida sem os palhaços circenses né?! Obrigado pelo post.Tiau.