Recomendação do Recanto




"Não subestime o desprezo absoluto das pessoas. Tornar-se um pária não é fácil. As pessoas acreditam que o diabo é Satan. Ignoram que o mundo é muito mais antigo que o cristianismo. Tudo para essas pessoas ignorantes é coisa do “diabo”. E julgam, recriminam e segregam. Ainda que isso seja um pecado diante de Deus. Porém, estranhamente é exatamente esse comportamento hipócrita e preconceituoso que a Igreja incentiva. É tudo tão absurdo. E afinal o que são os pecados? É uma maneira de controle do ser humano, de condená-lo, de inserir culpa pelos seus desejos naturais, de submetê-lo, de castrar seus pensamentos. É tudo tão ridículo."

Entre em contato!



Dúvidas? Opiniões? Ofensas pessoais? Gostaria de trabalhar conosco ou colaborar com suas produções?

Entre em contato!

recanto_do_opositor@hotmail.com

Firefox



Firefox

Satan usa Firefox. Todo o Inferno usa Firefox. Aceite-o como seu único navegador.

Exageros de individualismo

Escrito por Recanto do Opositor

O que esperar de uma religião que exalta o indivíduo? O que esperar de um pensamento que eleva o eu para cima de tudo e todos e o coloca como centro da vida? Uma postura arrogante, egoísta, cega? Ou ainda uma busca incessante por atenção, reconhecimento? Ou pior, a cegueira ao ponto de acreditar que tudo deve funcionar em virtude de um único fim, o pessoal?

Satanismo, como já o disse diversas vezes, é a religião do fogo. Mais do que as infinitas associações que possamos fazer com este elemento, digo isto por conta de seu mais simples aspecto físico. Fogo queima. Arde. Incomoda. É preciso ter cuidado em sua manipulação. E isto diz respeito aos mais diversos dogmas de nossa religião, e não ocorreria o contrário com um de seus pilares: o individualismo.

Muitas vezes, alguns daqueles que nos cercam, seja por intimidade, ou por terem de alguma forma obtido certo conhecimento, acabam por sair do nível do leigo e de fato compreendem o que a nossa religião significa para nós, e o que de fato a constitui. E não à toa, reconhecendo a importância do indivíduo, acabam a associar atitudes ruins nossas a ela. É o já conhecido, ao menos por alguns: nossa, como você é egoísta, só quer saber de você mesmo. É o tom de crítica que se justifica por um não aceito pressuposto religioso.

E vejam vocês, muitas vezes estes "críticos" estão certos. O individualismo nos leva a diversos lugares... Alguns dele, não tão agradáveis...

Corremos o risco de não percebermos que todas as relações com as outras pessoas estabelecem-se de forma dialógica, i.e., trata-se de uma via de mão dupla. Não adianta querer simplesmente receber, querer ser o único a dizer, querer ser aquele que não faz concessões. Os perigos das certezas muitas vezes acaba por nos fazer crer que somos os únicos a estarmos corretos, o que funciona como uma falha justificativa para nossos excessos. Eis o grande problema. Nossa arrogância vai tão longe a ponto de nossos erros justificarem-se por si próprios.

Corremos o risco de confundirmos querer atenção com obter atenção. Trata-se de posturas opostas, mas que por vezes acaba por disfarçar suas diferenças, fazendo com que adotemos uma, acreditando estar fazendo o contrário. Numa busca desesperada para que seja percebido e reconhecido, acabamos por nos fantasiar de palhaço e sermos notado não por nosso "eu", mas por nosso "ele", ou seja, pelo nosso aspecto exterior, pela forma como somos vistos, e não conhecidos.

Corremos o risco de colocarmos uma venda em nossos olhos partindo de uma noção de auto-suficiência que se encontra muito distante da realidade. Mais do que uma misantropia "positiva", acabamos atingir um nível de reclusão que em nada nos favorece. E o que é pior, não nos damos conta de tal, partindo de um julgamento próprio que sempre nos absolve de qualquer culpa. Deixamos de lado tudo aquilo que poderia estar contribuindo para a nossa formação e desenvolvimento simplesmente por julgarmos ser inferior, ou inútil.

Entretanto, o Satanismo não oferece ao indivíduo um palco que cuja platéia é composta por espelhos. De tal forma, não se trata da religião do "somente para mim", mas sim do "para mim, e para os outros". Trata-se do reconhecimento de que toda a ação tem por fim uma satisfação individual e que de forma alguma isto anula promovê-la a outrem, muito pelo contrário, por vezes esta é a condição primeira. Trata-se de saber ouvir, de saber conceder quando justo.

O Satanismo não oferece ao indivíduo uma fantasia de palhaço para que possa ele sair por aí expondo a todos suas características mais superficiais. O Satanismo não sugere a busca por atenção, mas a conquista da atenção. O Satanista não é o que precisa da aprovação ou da observação alheia. Ele por si só a obtém, a partir de atos e condutas. Um estrela não reclama para si seu brilho, ela simplesmente brilha.

O Satanismo não oferece ao indivíduo uma satisfação metafísica no sentido de torna-lo independente de seu mundo, de seus semelhantes, e de suas ações e produções. Pelo contrário, o incentivo é para que nos reconheçamos como uma simples peça de um complexo sistema de relações, interesses, e destinos, que modifica-se com o tempo, e do qual nunca podemos nos retirar. É preciso olhar o nosso redor e ver nele um grande potencial para que possamos nos manter em movimento, em constante conhecimento, ao invés de nos saciarmos com nossa estagnação, acreditando ter detido algum tipo de saber que por si se esgota.

Naturalmente, não lhes trago com estas palavras novidades, muito menos qualquer fundamentação específica de nosso sistema religioso. Contudo, mais do que o ímpeto das ações e dos desejos que permeiam o pensar e agir Satanista, é preciso que nos coloquemos como opositores de nós mesmos. Somente um verdadeiro cuidado e observação de nossas condutas pode nos levar a uma prática sadia da religião. Responsabilidade para o responsável, eis o caminho. Para os tolos incapazes de olharem para si, só lhes restam as vendas do fracasso, para que em seus próprios abismos definhem, caídos, sem perceber o caminho que trilhavam, enquanto tentam levantar-se, já com os ossos quebrados.

Quem tem medo se protege duas vezes. Venho apenas para lembrá-lo...

4 Comments

  • gravatar
    Comment by Madame Morte

    Realmente, nada de novo, mas serve para gente como eu, que por vezes se afoga na própria arrogância,rs.

    Tenho tentado sair dessas.E percebido que há bem mais que EU por aí.

    E como foi colocado no texto, ter consciência de que se é apenas uma ínfima parte de todo um sistema nos faz perceber que além de ter de existir um todo "coletivo", dá pra chegar cada vez mais longe, e não é nada mal seguir com alguém, seja lá em que tipo de relação for.

  • gravatar
    Comment by Vítor V.

    As coisas mais óbvias são as que mais facilmente esquecemos. As mais simples, são às quais damos menos valor.

    Em meio a uma religião de tantos "eu sou", é sempre bom manter acesa a chama da auto-crítica, que, sábia e realista nos diz "não, você não é tudo isto".

  • gravatar
    Comment by Madame Morte

    Absoluta e definitivamente.


    (legal pra caralho o último wallpaper da lista, salvei aqui.)

  • gravatar
    Comment by haileverton

    Bom nunca levantei o meu ego para ningue, sempre que estive neste caminho nunca pisei em ninguem sempre soube o os perigos que poderia encontra e mesmo quando comesei.Acredito que e questao de cada pessoa seber ate a aonde e capaz de ir com o seu ego,nao gosto de por o meu proprio Deus em risco a nao ser que desafiem a minha casa ai o negocio e mais fundo.Porque acho assim esta parte so disrespeito a voce mesmo, de vez em quando alguem merece saber a aonde ele mexe e com mexe para estas palavras que anton eu entendi de certa forma como ter amor com sigo mesmo e com aqueles que voce ama sao palavras de alto consolo para si mesmo todo homem e toda mulher e uma estrela a diferença esta no brilho.agradeço;fraterhail.savel satan